O Islão é uma religião de conquista

Guillaume Faye La colonisation de l’ Europe, Editions L’Aencre, 2000

Esta realiza-se em três etapas:

O Dal al-Sulh (a paz momentânea) pratica-se onde a comunidade muçulmana se instalou e quando esta se resume a uma pequena minoria. O infiel permite-lhe o proselitismo sobre o seu próprio território sem exigir uma reciprocidade em terra muçulmana. É a etapa que vivemos actualmente na Europa e que faz crer que “Islão laico e Europeizado” é possível.

O Dar al-Harb (zona de guerra) é a etapa seguinte na qual o Islão já está implantado e, sentindo-se forte o suficiente, pode abandonar a prudência de primeiros tempos da conquista.

O Dar Al- Islam é a terceira fase na qual os maometanos acabam por dominar. Os judeus e os cristãos são tolerados como dhimmis (protegidos), mediante o pagamento de um imposto especial. Os pagãos, os politeístas (”idólatras”) e ateus são perseguidos e a população deve submeter-se às regras sociais do Islão.